Falacao
SIM, ELES NOS AMAM!
28/09/2017 00:38:58

Neurocientista americano diz que os animais têm sentimentos.

Uma década atrás, a idéia de que os cachorros e outros animais tinham sentimentos teria sido rejeitada. que o trabalho com ressonância magnética pode nos dizer sobre a vida emocional do nosso melhor amigo? Afinal, nossos animais de estimação realmente nos amam - ou apenas os deleites que lhes damos? 

 

Para descobrir, Gregory Berns , neurocientista na Universidade Emory, nos Estados Unidos, treinou cachorros para entrarem em um scanner MRI. E conseguiu mapear seus cérebros ao responderem a diferentes estímulos. Os resultados surpreendentes estão em seu livro, What It's Like to Be a Dog ("O que os cãos pensam").

 

Uma das descobertas é que há semelhanças marcantes entre cães e humanos, tanto na estrutura como na função de uma região chave do cérebro: o núcleo caudado.


"É a estrutura comum a todos os cérebros, particularmente em mamíferos, que tem a maior densidade de receptores de dopamina. A dopamina costumava ser pensada como um neurotransmissor de prazer, mas é muito mais do que isso", explica Dr. Gregory Berns.

 

O núcleo caudado é ativado quando um indivíduo está em um estado de antecipação - algo acontece e ele precisa decidir o que fazer com essa informação. Estímulo particularmente forte se essa informação se encontra em domínios positivos. Você vê algo, quer abordá-lo, talvez o consuma.

 

"Quando vemos esta estrutura ativa nos cães, podemos interpretar que estão experimentando algo importante para eles e que eles gostam. Isso é completamente análogo ao que acontece nos cérebros humanos nas mesmas condições. Podemos apresentar analogias semelhantes ao que nos motiva a gostar de outra pessoa", afirma o cientista. 

 

Uma diferença entre cérebros caninos e humanos está no tamanho. Um cachorro de porte grande tem cérebro do tamanho de um limão. Mas a maior área de diferença está na linguagem. Você não precisa de uma MRI para saber que cães não podem falar, pelo menos não com palavras. A questão é descobrir o que eles realmente entendem sobre o nosso discurso.

 

Podemos ensinar-lhes todos os tipos de truques e tarefas com comandos verbais. Ainda não sabemos se os cães entendem que as palavras são detentoras de lugares simbólicos para outras coisas ou se, mais provavelmente, processam o discurso humano de maneira mais direta, ligando sons a ações específicas, sem uma compreensão profunda da qualidade semântica e abstrata. 

 

"A partir de reações cerebrais a diferentes estímulos, é possível entender o que os cachorros sentem".


No experimento, os pesquisadores mostraram um objeto que sinalizava que os cães receberiam comida, e outro que seu dono apareceria e faria "um elogio"! Alguns cães preferiram os alimentos. Para eles o que importava era a comida. Mas, a grande maioria dos cachorros apresentou respostas maiores para o elogio.

 

Intuição comprovada - nossos animais de estimação realmente gostam da gente! 

 

Fonte: news.nationalgeographic.com

 

 

 

 




Imprima esta página

Envie para um amigo

Espaço Animal - Rua Fradique Coutinho, 1677 - Vila Madalena - São Paulo - Telefone/Fax: (11) 3034.3131 - VetMóvel: (11) 9996.1222