Falacao
TERAPIA X ADESTRAMENTO
21/05/2009 15:41:39

O papel do terapeuta comportamental na educação dos pets.

Qual a principal diferença entre terapia e adestramento?

A terapia utiliza o adestramento para prevenir ou tratar problemas de comportamento dos animais. A principal diferença é que a terapia é mais abrangente porque cuida da alimentação, da saúde física e emocional, além de orientar a família sobre regras de manejo e formas de relacionamento com o animal. O adestramento prepara o cão ensinando a ele comandos e posturas, capacitando-o a se relacionar com os outros. Porém é o terapeuta quem ajuda a família a usar o que o animal aprendeu e a reforçar o comportamento desejado.

Você disse que o terapeuta faz a ponte entre os donos do cão e o adestrador. Como se dá essa ponte? Quais os benefícios dela?

A ponte é a comunicação que o terapeuta estabelece entre o adestrador e a família. O terapeuta investiga a situação familiar, avalia o estado físico e emocional do animal e orienta o trabalho do adestrador. Supervisiona as aulas, propõe novas condutas e cobra da família a participação necessária para o sucesso da terapia. Sem essa comunicação o trabalho do adestrador fica incompleto. Profissionais inexperientes e famílias omissas resultam em frustração. O terapeuta é quem pode melhorar isso.

Que tipos de terapias são utilizadas para melhores resultados de adestramento? Qual o objetivo delas?

É preciso entender a diferença entre terapia e técnicas de adestramento. A terapia usa medicamentos fitoterápticos, Florais, homeopatia, Reiki, massagens, socialização, esportes e treino de obediência básica, que faz parte do adestramento. O objetivo é prevenir ou tratar problemas de comportamento que prejudiquem a saúde do animal ou seu relacionamento com a família.

Já o adestramento ensina comandos, posturas e controla a agressividade. Pode ser usado para educar ou treinar o animal para executar determinada função (guarda). As técnicas de adestramento mais indicadas são as que se baseiam em recompensas, que sejam motivacionais, reforcem a inteligência e promovam a socialização.

Como é feita a terapia? O que é preciso?

O que é preciso é vontade de resolver o problema, paciência e disciplina. A terapia começa com uma consulta de 2 horas para que o terapeuta obtenha o máximo de informação sobre o animal, a família e o ambiente onde vivem. Nessa consulta são realizados testes de temperamento e avaliamos a interatividade do animal com seus donos. Um plano de ação é sugerido e definimos o tipo de treino necessário, além de ajustarmos a dieta do animal.

Propomos mudanças de manejo para diminuir o estresse e medicamentos para controlar a ansiedade, medos ou agressividade do animal . Quando necessário solicitamos exames para diagnóstico de problemas orgânicos e sugerimos o tratamento indicado.

Definimos o tipo de adestramento que deve ser reforçado e iniciamos um trabalho de socialização, que vai ajudar o animal a gastar energia, relaxar e resgatar sua identidade.

Qual é a melhor fase para se educar de forma eficaz um cão? Quais as diferenças de terapias para filhotes e cães adultos?

A melhor fase é sempre a infância. Quando investimos na educação do filhote evitamos uma série de problemas no futuro. O que não significa que estaremos livres de problemas, pois as relações são sempre muito complexas e tanto animais quanto pessoas podem sofrer mudanças ao longo de suas vidas. Quero dizer que o ideal é educar o cão desde filhote, mas nunca descuidar dele quando adulto.

A diferença básica entre treinar um filhote e um animal adulto é que filhotes são geralmente muito interessados em aprender, enquanto adultos são mais seletivos nas suas escolhas. Precisamos descobrir o que os motiva e cativá-los, estimulando-os a interagir com a gente da maneira mais adequada. Filhotes não devem passar por nenhuma situação traumática, que lhes provoque dor ou medo, pois isso será fatal na definição de sua personalidade. Filhotes traumatizados serão adultos medrosos, tímidos ou agressivos. Adultos mimados e criados sem limite serão possessivos, ciumentos e dependentes.

Quanto tempo em média é necessário para que a terapia tenha um bom resultado?

O tempo da terapia depende da gravidade do caso, da habilidade do terapeuta em perceber os mecanismos projectivos envolvidos, do grau de participação da família e da treinabilidade do animal. Em 1 mês o cão aprende comandos e boa parte dos estímulos propostos, mas ainda será cedo para dizer que o caso está resolvido. Muitos dos problemas vêem da relação do cão com o ambiente onde vive e as famílias nem sempre colaboram. Aí podemos estender a terapia até 1 ano ou mais. Casos mais graves como fobias, agressividade ou depressão requerem acompanhanmento constante do terapeuta e máxima vigilância da família, para toda a vida.

A terapia comportamental caminha junto com o adestramento, pois o proprietário deve ter total controle sobre o animal. O que fazer caso isso não aconteça?

Bem, geralmente o que acontece é que a família contrata um adestrador e acha que ele é que vai resolver o problema do seu cão. O profissional muitas vezes tem dificuldade para convencer a família de que é na casa que o cão precisa ser bem condicionado, senão todo investimento feito no treino terá sido em vão. Nesse caso é preciso ter coragem para mudar de atitude.

Uma saída seria o adestrador insistir e colocar como condição básica a participação da família e essa por sua vez, procurar orientação com alguém que explique o que acontece com o animal – esse é o trabalho do terapeuta.

Quanto custa em média esse "processo" de terapia e adestramento?

Os custos da terapia com adestramento variam de R$ 320,00 a R$ 500,00 mensais. Valores esses bem razoáveis se compararmos seus benefícios com um treino básico de adestramento, que não sai por menos de R$ 380,00 mensais, mas esbarra muitas vezes em barreiras que a terapia pode transpor. Muitas vezes apenas a consulta com o terapeuta, que custa R$ 200,00, pode ajudar a solucionar o problema.

A saúde do animal está diretamente relacionada à educação dada a ele. Como as famílias de baixa renda podem proporcionar isso ao cão? Esse trabalho pode ser realizado por pessoas leigas ou é necessária a ajuda de um profissional?

É necessário sim a ajuda de um profissional, mas acredito que quando se tem vontade de melhorar a relação com o animal o dono tem a disposição alguns caminhos. Basta querer. Costumo dizer que quem quer aprender sempre dá um jeito. Mesmo as familias de baixa renda podem ter acesso à informação. Boa parte da população está mais atenta a essas questões e busca ajuda, através da leitura de livros, revistas ou mesmo mandando emails para os inumeros sites especializados no assunto. Alguns canais de televisão e rádios dão dicas sobre criação e manejo correto de animais de estimação. Eu mesma sou consultora da Rádio Jovem Pan e oriento os ouvintes, há uma década, sobre como prevenir e tratar problemas de saúde ou comportamento dos animais.

Entrevista da Dra Rúbia Burnier ao Jornal Nippo-Brasil, em Janeiro de 2008




Imprima esta página

Envie para um amigo

Espaço Animal - Rua Fradique Coutinho, 1677 - Vila Madalena - São Paulo - Telefone/Fax: (11) 3034.3131 - VetMóvel: (11) 9996.1222